A Osteoporose

A osteoporose é uma doença relevante:

 

  • Acomete cerca de 10 milhões de brasileiros;

  • 2,4 milhões de brasileiros sofrem fraturas ósseas decorrentes desta doença;

  • 200 mil pessoas morrem anualmente em consequência destas fraturas;

 

Grande parte das pessoas começa a se preocupar com a osteoporose tardiamente, com a chegada da terceira idade. Como esta doença não costuma provocar sintomas, muitas vezes o seu diagnóstico é realizado somente na ocasião de uma fratura óssea, que é a sua consequência mais grave.

 

Entretanto, é desejável que sejam adotadas medidas desde a infância para evitar o desenvolvimento da osteoporose. Como assim?

Vitamina D e exposição solar, como conciliar sem prejudicar a saúde!

 

A osteoporose é uma doença caracterizada pela redução progressiva da massa óssea, levando à diminuição da resistência do osso aos impactos e à um maior risco de fraturas. A massa óssea é constituída pelo processo de calcificação do esqueleto cartilaginoso. A partir do nascimento inicia-se um acúmulo de cálcio no organismo. Por volta de 18 -21 anos o indivíduo atinge o pico de massa óssea, que é quando a quantidade máxima de cálcio é alcançada. Quanto mais elevado for este pico, menor será a suscetibilidade para a osteoporose e, consequentemente, para as fraturas na terceira idade.

 

As medidas necessárias para que o indivíduo atinja um pico elevado de massa óssea e preserve a saúde do osso ao longo da vida, prevenindo-se contra a osteoporose são: alimentação rica em cálcio e em vitamina D, prática de exercícios físicos e exposição ao sol.

 

Vale comentar que, apesar da adoção das medidas preventivas, uma parcela de indivíduos pode ter osteoporose devido à influência da herança genética. O diagnóstico precoce pode ser obtido pela realização do exame de densitometria óssea que está indicada para todas as mulheres a partir de 65 anos e para todos os homens com 70 anos ou mais.

 

Existem tratamentos eficazes contra a doença, porém, como diz o velho ditado, é melhor prevenir do que remediar!

Mariana Sato

Médica formada pela Universidade de São Paulo, especializada em Medicina de Família e comunidade pela Sociedade Brasileira de Medicina de Família e Comunidade. Mestre em Humanização e Saúde pelo Departamento de Medicina Preventiva da Universidade de São Paulo. Tem experiência em assistência médica com ênfase na prevenção e promoção à saúde, no contexto da atenção primária.

Comments

comments