Índice glicêmico dos alimentos e suas aplicações para a saúde

43Entre as pessoas que desejam emagrecer, inclusive alguns frequentadores de academia em busca de saúde ou resultados estéticos, é comum uma preocupação específica com as calorias e com a exclusão de alimentos considerados não saudáveis, no entanto, é importante salientar que a qualidade nutricional dos alimentos, ou seja, seus teores de carboidratos, proteínas, gorduras e presença de outros nutrientes importantes como as vitaminas e os minerais devem ser levados em conta com maior relevância do que o valor calórico em si.

Além disso, outro aspecto que costuma não ser levado em conta em estratégias de emagrecimento e alimentação saudável é o índice glicêmico do alimento. Muito tem se falado sobre a exclusão dos carboidratos da dieta para emagrecer, mas este é um nutriente muito importante, o mais eficaz em fornecer energia e não deve ser negligenciado, mas sim, ter seu consumo controlado, priorizando a ingestão de cada tipo de carboidrato em momentos específicos e dando mais espaço aos complexos do que aos refinados.

Aproveite a leitura e compreenda os efeitos da insulina no metabolismo corporal além do controle da glicemia!

Pensando nisso, você tem ideia do que é o IG dos alimentos?

O índice glicêmico (IG) representa a velocidade com que um determinado alimento eleva os níveis de glicose no sangue e tem um papel interessante porque quando alto pode aumentar muito rapidamente a glicemia, levando a picos que geram um aumento também exacerbado de insulina e favorecem uma redução na saciedade e maior depósito de gordura corporal. Já quando o IG do alimento é baixo, a glicemia se eleva de maneira mais estável, auxiliando na manutenção de níveis adequados de insulina no organismo e promovendo uma saciedade maior e mais prolongada o que favorece o emagrecimento e manutenção de um metabolismo mais constante.

Confira o índice glicêmico de alguns alimentos:

Índice glicêmico de alguns alimentos
Fonte: http://bemstar.globo.com/index.php?modulo=tab_nutri&ig=1

Lembre-se que nem todo alimento considerado fonte de carboidrato complexo é de baixo índice glicêmico e aquele fonte de carboidrato simples é de alto IG. Por exemplo, a tapioca tem índice glicêmico alto e algumas frutas apresentam o IG baixo. Por isso também não vale a a pena excluir os alimentos com alto índice glicêmico da sua alimentação, mas sim moderar a quantidade e momentos em que irá consumi-lo. Lembre-se de consultar a sua nutricionista que irá avaliar suas particularidades clínicas, sua rotina, estilo de vida e nível de atividade física para modular uma dieta que leve em conta não só as calorias, mas a qualidade nutricional e índice glicêmico em suas refeições. Aproveite e utilize como ferramenta o programa de educação alimentar da Suporte Saúde para monitorar e acompanhar seu consumo e registrar suas novas condutas.

 

Comments

comments