Exercício e saúde

Exercício na prevenção da saúde

Falar de exercício e saúde é algo recorrente visto que, o sedentarismo é um fator de risco importante no desenvolvimento de diversos transtornos e doenças crônicas não transmissíveis (DCNT).

Segunda a Organização Mundial de Saúde (OMS), as DCNT são doenças multifatoriais que se desenvolvem no decorrer da vida e são de longa duração. Atualmente, elas são consideradas um sério problema de saúde pública e foram responsáveis, no Brasil, em 2013, por 72,6% das mortes.

São DCNT:

 

  • As doenças do coração,
  • O câncer,
  • As enfermidades cérebro vasculares e
  • O diabetes mellitus.

 

As DCNT podem ocorrer em caso de dotação genética e predisposição de alguns indivíduos para determinadas enfermidades, no entanto, um estilo de vida não saudável que manifeste o estresse oxidativo metabólico também proporciona o aparecimento de tais doenças. Entre as causas desse estresse estão:

 

  • O tabagismo,
  • Maus hábitos alimentares,
  • Consumo nocivo de álcool e
  • Sedentarismo.

Estilos saudáveis de vida têm grande influência na prevenção e no tratamento das DCNT, é sabidamente difícil reduzir os danos e os óbitos provocados por essas enfermidades sem a conscientização e a mobilização da população, sem uma mudança efetiva de hábitos de vida. Nesse sentido, a prática regular de exercício físico, orientada e planejada, tem um lugar de destaque, mesmo porque, a inatividade física é um dos fatores de risco mais importantes para as DCNT!

Este lugar de destaque da prática da atividade física ocorre porque ela contribui na promoção de diversos benefícios no organismo que resultam na melhora da capacidade motora geral e na prevenção das DCNT. A prática de atividades físicas promove e melhora a qualidade de vida.

A condição física cardiorrespiratória é considerada a mais importante para a saúde, no entanto, para dispor de uma condição física integral é importante combinar tipos de exercícios específicos que desenvolvam a condição músculo esquelética (força, resistência muscular e flexibilidade) e a capacidade cardiorrespiratória, estes deverão ser feitos no mínimo 3 vezes por semana, não menos de 20 minutos de forma contínua, com uma frequência cardíaca adequada para o estado de saúde do indivíduo.

Exercício anaeróbico ou aeróbico? Como age o metabolismo pós treino

De modo geral, a pessoa que deixa de ser sedentária e passa a ser fisicamente mais ativa diminui o risco de morte por doenças do coração em 40%! Exercícios físicos contribuem na perda do peso e da porcentagem de gordura corporal, na redução da pressão arterial em repouso, na diminuição do colesterol total e aumento do HDL colesterol (o “colesterol bom”). Estes aspectos são importantes na prevenção de doenças tais como obesidade, diabetes e hipertensão.

Quanto ao tratamento de determinadas doenças, verificam-se que os exercícios físicos têm se tornado grande aliado das formas terapêuticas, muitas vezes evitando ou diminuindo o tratamento medicamentoso, isso é evidenciado de forma frequente nos casos de diabetes.

Não podemos esquecer que os exercícios físicos praticados de forma isolada, sem os demais hábitos saudáveis, pouco ou nenhum benefício podem trazer para a saúde. Desse modo, sua prática deve ser acompanhada de alimentação adequada e sem excessos em geral. Da mesma forma, os exercícios físicos podem causar prejuízos à saúde se praticados sem a orientação de profissionais habitados para tal.

 

Comments

comments