Intestino: o segundo cérebro – a importância da saúde intestinal para todo o corpo

  O intestino é fascinante e seu papel vai muito além de transportar, absorver e preparar alimentos para a excreção. O órgão tem cerca de meio bilhão de neurônios e 300 mil neurotransmissores como a dopamina responsável pela motivação, impulso e foco e a serotonina que nos leva ao estado de bem-estar formando assim o seu próprio sistema nervoso, capaz de executar circuitos de tarefas independentes do comando cerebral.

 

  A ciência descobriu, ao contrário do que antes se imaginava, que o intestino envia mensagens para o cérebro através desta sofisticada rede de neurônios: quando o estômago fica vazio por um certo período o intestino envia mensagens para que a sensação de fome seja desencadeada e a medida que comemos outras mensagens são enviadas para sinalizar a saciedade. Além disso, devido à elevada secreção de dopamina e serotonina, estar com a saúde intestinal em dia pode interferir diretamente no humor e comportamento. Fantástico não?!
  E não pára por aí: Há outro elemento que interfere nessa conexão: a flora intestinal ou microbiota, para sermos mais exatos. O intestino carrega cerca de 100 trilhões de bactérias, que tem papel decisivo na manutenção da saúde. A relação entre nós e estas bactérias é geralmente positiva, pois elas obtêm os substratos que necessitam para se manter vivas e nós nos beneficiamos do auxílio que oferecem na digestão dos alimentos e a proteção contra agentes infecciosos. Mas algumas condições negativas para a microbiota como uma alimentação rica em gordura, o estresse e o uso de antibióticos pode favorecer a proliferação de bactérias ruins e a morte nas boas, causando gases, distensão abdominal e enfraquecendo a imunidade do organismo.
  Diante de todos estes fatos incríveis sobre a importância de nossa saúde intestinal, podemos perceber que quando esta se encontra fragilizada ficamos predispostos a uma série de doenças inflamatórias, neurodegenerativas e crônicas não-transmissíveis como a diabetes. Para melhorar e manter em dia o bom funcionamento do trato gastrointestinal é importante consumir alimentos ricos em fibras como os grãos, sementes e outros alimentos integrais, como pães, biscoitos e massas, além de iogurtes e leites fermentados, frutas, legumes e verduras e água e evitar alimentos ricos em gordura, açúcar refinado e bebidas alcoólicas.
  Vamos cuidar do nosso segundo cérebro para levar uma vida mais saudável?

Comments

comments