A onda do “glúten free”: tudo o que você queria saber!

O glúten é uma proteína encontrada nos cereais: trigo, cevada, centeio, aveia e seus derivados. Sendo assim, vários alimentos que consumimos habitualmente como pães, massas, bolos, biscoitos, torradas, pizzas, panquecas, achocolatados, sorvetes, molhos e até cervejas, além de muitos outros, geralmente fontes de carboidratos, contém glúten!

Atualmente, assim como reduzir ou excluir a lactose da alimentação está na moda eliminar o glúten. Diversos produtos com a alegação de serem “glúten free” são criados e dispostos no mercado como alimentos mais saudáveis e adequados à prática de uma dieta, principalmente as de perda de peso.

Diante desta nova onda é preciso esclarecer alguns pontos importantes sobre o consumo de glúten.

A doença celíaca é uma enfermidade caracterizada pela intolerância ao glúten que acomete indivíduos que, ao ingerir alimentos que contenham a substância, apresentam diarreia crônica, gases, distensão e cólicas abdominais, sintomas que podem ser facilmente confundidos com os de outras doenças. As reações ocasionadas pelo consumo desta proteína vão além do mal-estar e podem trazer prejuízos à absorção de outros nutrientes essenciais ao organismo devido às lesões na mucosa intestinal podendo acarretar em desnutrição grave, osteoporose e problemas neurológicos. Outras pessoas ainda apresentam sensibilidade ao glúten que pode estar relacionada a uma fase da vida ou em decorrência de outras doenças que, com o tempo, reduz ou até mesmo elimina suas manifestações, no entanto, a doença celíaca é uma condição clínica diagnosticada exclusivamente pelo médico, testes de sangue, exames para avaliar a gordura nas fezes e endoscopia digestiva alta para verificar se existe atrofia das vilosidades do intestino. A única forma de tratar a doença celíaca é eliminando da dieta alimentos que contenham o glúten.

O que tem acontecido nos dias de hoje é que muitas pessoas têm eliminado alimentos com glúten com o intuito de emagrecer ou de aprimorar o bem-estar sem ter esta necessidade (como no caso dos portadores de doença celíaca) e muitas vezes fazem isso motivados pela mídia. Especialmente os alimentos que contêm trigo são também fontes de fibras e enriquecidos com vitaminas que boa parte da população não ingere em quantidade adequada. Ao eliminar estes alimentos da dieta, sem um manejo nutricional adequado, é possível que outros nutrientes importantes deixem de ser consumidos prejudicando o seu metabolismo.

Leia também sobre a polêmica da moda de excluir a lactose da alimentação clicando aqui!

Antes de iniciar uma dieta livre de glúten para experimentar suas reações, procure um médico e um nutricionista para auxilia-lo(a). A exclusão de alimentos com glúten pode até emagrecer pela restrição alimentar que estará sendo realizada mas, não é garantido que estes quilos perdidos sejam isentos de danos à saúde.

No final das contas é importante lembrar que a exclusão indiscriminada de glúten da alimentação não é respaldada pela maioria dos médicos e nutricionistas pois não há informações científicas que comprovem benefícios à todas as pessoas.

Às pessoas com doença celíaca e outras que por algum motivo querem diversificar o consumo de cereais na alimentação é possível incluir grãos como o amaranto, a chia, a quinoa, o sarraceno e utilizar farinha de milho ou batata em suas preparações culinárias.

Lembre-se: o prazer da alimentação também faz parte de uma vida saudável e muitas vezes a maneira como você se relaciona com o alimento pode fazer toda a diferença.

Equilíbro sempre!

Comments

comments